Medicamentos

Esses medicamentos são uma forma de terapia que modifica a resposta imune dirigida à células específicas “macrófagos”as quais contribuem para a resposta imunológica.

A abordagem clínico-farmacológica, diferente da abordagem alopática convencional, torna estes medicamentos indicados para patologias onde os indivíduos se encontram imunodeprimidos ou imunocompetentes episodicamente, já que suas formulações homeopáticas, bastante diluídas, não produzem efeitos colaterais nos pacientes que as utilizam.

Os medicamentos Canova® se enquadram no conceito de medicamento homeopático, pois sua técnica de produção é baseada nos princípios ditados por Hannemman, criador da Homeopatia. Diferentemente da maioria dos medicamentos homeopáticos únicos, Canova é uma fórmula de vários medicamentos homeopáticos que ajudam a promover um efeito geral mais amplo, que foi confirmado na prática clínica e nas pesquisas científicas de base.

Várias são as situações médicas em que o sistema imunológico se encontra afetado como: parasitoses crônicas, doenças infecciosas e inflamatórias e quadros neoplásicos. Nestas situações clínicas é comum que o organismo aumente a produção de uma substância denominada Fator de Necrose Tumoral (TNF), a qual, em excesso, passa a ter efeito tóxico sobre o organismo, produzindo um quadro clínico dramático e de conclusão, muitas vezes fatal, chamado caquexia. Uma das ações mais potentes dos medicamentos Canova® é justamente a de modular a produção desta substância, também conhecida como TNF-alfa.

As formas de apresentação farmacêutica do Canova são: gotas, inalante, flaconetes, gel, loção e creme. Por não ter qualquer toxicidade são medicamentos seguros por qualquer via que sejam utilizados para introduzi-los no organismo.

Esses medicamentos são uma forma de terapia que modifica a resposta imune dirigida à células específicas “macrófagos”as quais contribuem para a resposta imunológica.

Modo de uso

Como todo medicamento homeopático, o Canova® age como um catalisador que auxilia os mecanismos inatos de cura do organismo. Para um uso adequado e bem sucedido, o frasco deve ser enérgica e uniformemente agitado (um processo denominado sucussão). A sucussão consiste em agitar o frasco vigorosamente pelo menos 15 vezes, batendo na palma da mão.

Percentual de macrófagos ativados após diferentes tempos de energização (sucussão) medicamento Canova (p<0.05) em comparação com o grupo controle.

Como o Canova® atua no Sistema Imunológico

O macrófago é uma célula que se encontra presente em todos os tecidos do organismo e apresenta funções importantes no sistema imune. A ingestão de partículas estranhas e seu processamento levam á ativação do sistema imune através da apresentação de antígenos aos linfócitos, da secreção de substâncias capazes de regular o sistema imune e da elaboração de substâncias capazes de destruir outras células e organismos (ABBAS; LICHTMAN; POBER, 2000).

Desordens no sistema imunológico podem ser a causa de muitas enfermidades, desde doenças autoimunes, até síndromes de imunodepressão. Em acréscimo a isso a responsividade do sistema imune determina de maneira decisiva o prognóstico do paciente e uma resposta imune inadequada ou insuficiente podem significar a perda da luta do organismo contra a doença. Pensando desta forma é que cada vez mais médicos e pesquisadores tem se interessado por medicamentos e terapias que atuem como moduladores da resposta imunológica, visando “regular”, o organismo para responder de forma adequada qualquer estímulo agressor, sem causar efeitos colaterais ao mesmo.

A maioria dos tratamentos médicos é efetiva no controle das doenças, porém muitas vezes produzem efeitos colaterais indesejados. A homeopatia é um método de tratamento que busca intensificar os mecanismos de cura do próprio organismo e que de maneira geral não apresenta toxicidade, fazendo com que esta especialidade médica seja cada vez mais utilizada. No entanto a homeopatia ainda carece de estudos científicos a respeito de seus mecanismos de ação. O Canova® é um medicamento homeopático que vem sendo utilizado com sucesso no tratamento de muitos pacientes, os quais necessitam de uma melhora no desempenho de seu sistema imune. A medicação Canova® é prescrita em associação aos medicamentos alopáticos usuais, recomendados as suas doenças. Os pacientes apresentam melhora nos sintomas e, principalmente, na qualidade de suas vidas. Além disso, o Canova® parece amenizar os efeitos colaterais dos demais medicamentos, quando estes são utilizados em conjunto.

Existem muitas ocasiões em que a homeopatia pode ser a principal terapia exigida para auxiliar a cura, mas em muitas outras situações ela pode constituir uma corda adicional no arco terapêutico convencional.

Macrófagos tratados com o Canova® mostram alterações fisiológicas e morfológicas de ativação, com grande núcleo, muita eucromatina, maior espraiamento, citoplasma vesicular e muitas projeções.

Macrófagos Alveolares Humanos

Sistema Imune

Nos últimos anos a imunologia, que é a ciência que estuda a defesa do organismo, vem sendo mais estudada e conhecida contribuindo de maneira importante para elucidar o mecanismo de várias doenças e conseqüentemente o modo de tratá-las.

A biologia molecular que analisa o modo das moléculas funcionarem e a genética que hoje está mapeando o genoma humano elucidando como age cada gene, também vem avançando rapidamente conseguindo trazer uma luz para doenças até hoje desconhecidas. Qualquer doença provoca no organismo reações do seu sistema de defesa (imunologia). Este sistema, portanto, está ligado a resistência da pessoa, agindo de forma mais adequada quando há equilíbrio e saúde. Em doenças virais, por exemplo, o vírus responsável pela infecção ataca diretamente o sistema imunológico dificultando as defesas naturais e diminuindo a resistência dos indivíduos.

Todas as viroses, doenças bacterianas, fúngicas e inflamatórias despertam no organismo da pessoa a reação do seu sistema imunológico. Isto é feito principalmente através dos linfócitos que são células inflamatórias e que levam mensagens a todo o organismo. Estas mensagens são responsáveis por todo o processo de inflamação que indica que nosso corpo está se defendendo.

É impossível sobreviver sem o sistema imunológico, porém paradoxalmente ele é responsável pela maioria dos sinais e sintomas da doença.

Nos processos alérgicos, por exemplo, a pessoa rejeita uma determinada substância e o sistema imune provoca a urticária, coceira, descamação e assim por diante.

Nesta nova era da medicina, podemos contar com os imunomoduladores que são remédios ativos na cadeia do sistema imunológico. Sendo assim eles não vão agir propriamente contra o vírus ou a bactéria, mas sim auxiliar o organismo numa defesa mais adequada evitando os efeitos indesejáveis que surgem devido à inflamação e infecção.

Esta medicação irá tornar a resposta pelos linfócitos mais eficiente, contribuindo com a formação de maior quantidade de citoquinas que são os agentes principais da defesa. Com melhor defesa o organismo pode eliminar o vírus sem auxílio de drogas antivirais potentes que muitas vezes tem efeitos colaterais indesejáveis.

Os medicamentos imunomoduladores auxiliam na defesa do organismo que através de sua ação no sistema imunológico, recuperando a capacidade de defesa das células. A ação destas substâncias é sempre no sistema imunológico, às vezes nos linfócitos, às vezes nas citoquinas equilibrando e reforçando a defesa natural do organismo.

É interessante enfatizar que o desenvolvimento destas drogas só foi possível porque a tecnologia atual trouxe maior conhecimento à área em questão decifrando todos os passos utilizados na resposta imunológica aos diversos tipos de doenças.

Eles também serão eficazes para tratar todas as imunodeficiências genéticas ou não, e doenças auto-imunes como vitiligo e lupus eritematoso sistêmico entre outros. Desta forma estamos caminhando no 3° milênio para utilização de drogas inteligentes que serão cada vez menos agressoras e que serão mais eficientes na cura da doença a medida que aprimoram e recuperam as defesas naturais do organismo humano.

Observe o quadro a seguir sobre o Papel Central do Macrófagos no Sistema Imune

Os macrófagos têm um papel central na resposta inicial à infecção antes da ação da imunidade mediada pelas células T e B. Os macrófagos agem como células processadoras e apresentadoras de antígenos e finalmente, quando as células T respondem ao antígeno e liberam linfocinas, estas agem nos macrófagos causando sua ativação.

Observe a seguir o quadro que mostra o Papel Central dos Macrófagos na Imunidade e Inflamação

Macrófagos e seus produtos enumerados acima são importantes na fase de indução, inflamação, reorganização e reparo dos tecidos; também realizam funções efetoras. Baseado no livro “Imunologia”, de Roitt.

A doença é um fato da vida a qual, infelizmente, todos estamos sujeitos. Quando a doença aparece, seja ela de caráter grave ou não, queremos basicamente a mesma coisa: um tratamento rápido e suave que nos cure e alivie nosso sofrimento. O sistema imunológico, conjunto de mecanismos de defesa e cura do nosso corpo, é altamente competente e controlado. No entanto, muitas doenças podem ser o resultado de desordens no sistema imunológico, onde a ação deste determina de maneira decisiva o prognóstico do paciente e uma resposta imune inadequada ou insuficiente podem significar a perda da luta do organismo contra a doença.

Nestes casos, porque não reabilitá-lo e estimulá-lo a realizar a sua função, guiando-o para a eliminação da doença?

O sistema imune é composto de numerosos tipos de células e uma variedade de moléculas as quais estão espalhadas através do nosso corpo (SEADI, 1998). As células que constituem o sistema imunológico se originam na medula óssea, onde muitas também amadurecem. A partir da medula, elas migram, circulando no sistema circulatório sanguíneo e linfático.

A resposta coletiva e coordenada à introdução de substâncias estranhas é denominada resposta imune (ABBAS; LICHTMAN; POBER, 2000). Há vários tipos de resposta imune. De uma maneira mais ampla, a resposta imune enquadra-se em duas categorias: resposta inata e específica ou adaptativa (imunidade adquirida) (ROITT; BROSTOFF; MALE, 1999). Estas respostas são um conjunto integrado de estruturas, células e elementos do sangue que permitem ao organismo reconhecer e responder a agentes potencialmente agressores do meio ambiente (antígenos) (SEADI, 1998).

A imunidade natural é aquela presente ao nascer. É o mecanismo de defesa de que dispomos antes mesmo de nos expormos a qualquer substância estranha (SEADI, 1998). Esta é a principal linha de defesa contra os organismos invasores. Suas características são aquelas que ele apresenta por toda vida, não tendo especificidade nem memória. Protege principalmente contra bactérias, fungos e vermes. Seus componentes são barreiras mecânicas, produtos secretados, além de incluir um grupo de leucócitos chamado fagócitos, e outro grupo chamado de células Natural Killer (WOOD; AUSTYN, 1993). A imunidade adquirida não está presente ao nascer, mas é adquirida como parte do desenvolvimento. É um componente de um sistema integrado de defesa do hospedeiro, no qual numerosas células e moléculas funcionam de maneira cooperativa. O sistema imune específico retém muito de seus mecanismos de imunidade natural necessários para eliminar invasores estranhos, com o acréscimo de duas propriedades importantes: a especificidade e a memória. A resposta imune específica amplifica os mecanismos de imunidade natural e potencializa sua função, particularmente com exposições repetidas ao mesmo antígeno estranho (ABBAS; LICHTMAN; POBER, 2000).

Componentes

Recomendações

Manter a medicação longe do sol, calor (não armazenar em porta-luvas do automóvel), odores fortes, aparelhos eletro-eletrônicos, etc. Não guardar a medicação na geladeira.

Não escovar os dentes, nem enxaguar a boca com anti-sépticos bucais pelo menos 15 minutos antes e após o uso da medicação.

Sugestões

O gerenciamento do estilo de vida e do stress é um complemento necessário a qualquer intervenção terapêutica, e os pacientes devem ser encorajados a praticar esses princípios.

Estimular a prática de atividades físicas sempre que possível principalmente caminhada ao ar livre.

Estimular as atividades de trabalho ou as que exijam responsabilidades.

Estimular atividades de lazer que distraiam as tensões do dia a dia.

Recomendar, sempre que possível, uma dieta rica em proteínas (peixes ou soja).

Evitar gorduras e frituras, cigarros e bebidas alcoólicas.

IMPORTANTE!

NÃO INTERROMPER A MEDICAÇÃO SEM ORDEM MÉDICA.

Os medicamentos homeopáticos CANOVA® são produzidos com padrões rígidos de qualidade e segurança, e devem ser utilizados como qualquer outra medicação, sob orientação e acompanhamento médico.